Jump to content
The World News Media

JW's Attacked with Poison Gas at a Convention.



originally uploaded in a comment by @Bible Speaks

Photo Information for JW's Attacked with Poison Gas at a Convention.


Recommended Comments

There are no comments to display.

  • Similar Content

    • Guest Nicole
      By Guest Nicole
      Tuvo que dejar el Barça por motivos religiosos: era testigo de Jehová y el presidente del club, Narcís de Carreras, no lo quería en el equipo Tras dejar el fútbol, el angoleño nacionalizado español trabajó en la embajada de Angola, creó el Mundial de inmigrantes, patentó el 'fútbol 7' y fundó la asociación de futbolistas africanos
      Mendoza jugó en el Barça entre 1966 y 1969 | sport
      Siempre dijo que se tuvo que ir del Barça por motivos extradeportivos. Y así fue. Lo que nunca había llegado a desvelar es que fue el presidente de la época, Narcís de Carreras, quien le vetó por una cuestión religiosa: antes de incorporarse al Barça, en abril de 1966, el delantero angoleño Jorge Alberto Mendonça (Mendoza, una vez nacionalizado español) ya formaba parte de los testigos de Jehová y cuando Narcís de Carreras lo supo, quiso apartarlo del equipo.
      Leer más: 
      Hello guest! Please register or sign in (it's free) to view the hidden content.
    • Guest Kurt
      By Guest Kurt
      JEHOVAH’S WITNESSES VICTIMS OF GAS ATTACK IN ANGOLA
      16 SEP 2017 

      On Friday August 25, over 400 Regional Convention for JehovahÂ’s Witnesses attendees were rendered unconscious when unknown assailants spread a non-lethal gas through the main auditorium and restrooms of the Viana Assembly at Witnesses in Luanda, Angola.
      According to the organizationÂ’s main website, there were few injuries among those present at the time. Only 405 of the 7,000 attendees were affected by the gas. According to Pulse, most of those who fainted due to the gas were female.
      Additionally, the group suffered no casualties because of the assailants, whose names and affiliations have not been released, released a mildly dangerous gas. The attack occurred in the morning, and by the end of the afternoon, most of those who were present during the attack had received treatment and returned to the Angolan Witnesses headquarters. Local authorities had three suspects in custody for the attack by Friday evening. While this is not the first and possibly religious-motivated attack in the North African region, the reaction of the JehovahÂ’s witnesses after the attack is admirable. Minutes after the attack, Witnesses started helping each other report to the nearest hospitals. Instead of being hysterical, they tended each otherÂ’s needs and lent support when it was required. The Regional Convention was stalled on Friday as the church complied with local authoritiesÂ’ request for the same. However, on Saturday, members of the JehovahÂ’s Witnesses continued their session. On SundayAugust 27, attendance of the convention peaked with over 12,000 people attending. More astoundingly, the church welcomed 188 people into their fold through baptism. By the end of the convention, and despite the attack on Witnesses in the region, the JehovahÂ’s Witnesses society was as strong as ever.
      Not voting in AngolaÂ’s recent presidential elections has been cited as a possible motive for the attack on the church, though authorities have not confirmed this theory.

       Hello guest! Please register or sign in (it's free) to view the hidden content.
       
    • By El Bibliotecario
      ¡Delincuentes liberan GAS TÓXICO en Asamblea de los TESTIGOS DE JEHOVÁ !

      Hello guest! Please register or sign in (it's free) to view the hidden content.
    • By The Librarian
      Hello guest! Please register or sign in (it's free) to view the hidden content.
    • Guest Nicole
      By Guest Nicole
      Naar verluidt zijn sommige extremisten aangehouden en wordt het motief beschouwd als vergelding voor een recent verlies in de verkiezingen daar.
       
    • Guest Nicole
      By Guest Nicole
      Com auxílio dos fiéis da Igreja Testemunhas de Jeová, os efectivos da Polícia Nacional detiveram, ontem, três jovens que supostamente terão espalhado a substância tóxica que provocou os desfalecimentos. (O País)
      Com auxílio dos fiéis da Igreja Testemunhas de Jeová, os efectivos da Polícia Nacional detiveram, ontem, três jovens que supostamente terão espalhado a substância tóxica que provocou os desfalecimentos.
      Mais de 400 fiéis da Igreja Testemunhas de Jeová desmaiaram, ontem, durante a cerimónia de arranque do congresso anual desta congregação religiosa que decorre no templo sede de Viana, em Luanda, ao inalarem substância tóxica. Os desfalecimentos tiveram lugar às 9horas, tendo abrangido algumas pessoas do sexo feminino entre os sete mil fiéis que acorreram ao recinto (com capacidade para 11 mil almas) com o propósito de participarem no congresso que terminará amanhã.
      Abraão Kituxi, uma das testemunhas oculares, revelou que uma das primeiras pessoas a passar mal e caiu inconsciente foi uma cunhada, ou seja, a Magui que foi imediatamente encaminhada ao hospital municipal do Cazenga, onde foi assistida. “Antes, ela se havia disse que estava a sentir-se incomodada com um cheiro desagradável e eu supús que teria sido de algum de lixo dos camiões de recolha de resíduos sólidos que passaram próximo ao templo”, revelou. Mesmo assim, ao desmaiar, não levou muito a sério, julgando tratar-se de mais uma daquelas crises que lhe afligem quando inala algum cheiro muito activo, e independentemente da composição química, recupera-se facilmente.
      Mas a sua dedução caiu por terra ao ver, subitamente, outras pessoas que ocupavam os últimos assentos próximos ao da Magui, queixando-se do mesmo incómodo, estando outras mesmo caindo em cascata. O facto casou um pânico generalizado entre a comunidade que assistia a palestra subordinada ao tema “não desista”. Os que resistiram queixavam-se de dores no peito e às pessoas próximas solicitavam água para beber. Os responsáveis da congregação accionaram imediatamente a Polícia e os Bombeiros que enviaram quatro ambulâncias e três patrulheiros que juntaram-se aos fiéis evacuando os pacientes em viaturas particulares para as unidades sanitárias mais próximas, como o Hospital Municipal do Cazenga e o Hospital dos Cajueiros.
      Polícia deteve presumíveis infractores
      O produto tóxico que despoletou a situação terá sido espalhada por um grupo presumivelmente constituído por sete indivíduos maiores de idade, três dos quais já se encontram sob custodia da polícia. Após verem os seus intentos concretizados, alguns dirigiram- se a um dos balneários com o propósito de mudar de roupa para não serem reconhecidos, porém, para o seu grande azar, o nefasto odor provocou a mesma reacção aos fiéis que faziam o serviço de protocolo à entrada desses recintos.
      “Um dos acusados foi detido numa das casas de banho trocando de roupa, o outro a tentar entrar numa das casas de banho das senhoras com o mesmo propósito e o terceiro a transpor o portão”, afirmou Manuel Ricardo, outra testemunha ocular. Todos não exibiam os crachás que foram distribuído aos participantes no evento pela organização, e um deles transportava um pasta contendo diversas peças de vestuário. A substância tóxica que terá provocado os desmaios, cuja composição química ainda não foi apurada, encontrava-se em recipientes de 750 mil litros de diversas cores, espalhados em locais estratégicos, que já se encontra em posse dos peritos do Serviço Provincial de Investigação Criminal de Luanda e do Laboratório Central de Criminalística.
      Demarcados dos desmaios em escolas
      O director clínico do Hospital Municipal do Cazenga, Panda Dombaixi, revelou, a OPAÍS, que dos 45 pacientes que assistiram, com idades superiores aos 15 anos, alguns queixavam- se de falta de ar, dores no tórax e tinham os olhos roxos. A maioria foi posta em recuperação no pátio do hospital e os que aparentavam um estado mais grave foram entregues à enfermaria. “Clinicamente não eram casos preocupantes porque alguns pacientes foram recuperando à medida que conversavam com a equipa médica de serviço. Alguns até só com a exposição ao oxigénio natural”, explicou.
      O médico Panda Dombaixi esclareceu ainda que esta ocorrência não se associa aos desmaios que ocorreram nas escolas, embora ainda carece de se averiguar as causas reais. “Geralmente quando ocorrerem desmaios em massa, quase sempre está associada a um gás, porque este produto se dispersa com facilidade no ar. Só não podemos precisar com exactidão que tipo de gás terão inalado, mas com certeza terão inalado”, assegurou. (O País)

      Hello guest! Please register or sign in (it's free) to view the hidden content.  
    • By The Librarian
      originally uploaded in a comment by @Bible Speaks
    • By The Librarian
      originally uploaded in a comment by @Bible Speaks
    • By TheWorldNewsOrg
      Rap activism has its say about Angolan politics
       
       
    • By TheWorldNewsOrg
      Angola Election: a big day for Angolans
       
       
    • By TheWorldNewsOrg
      Angola: UNITA's four-decades struggle to end Dos Santos rule
       
       
    • By TheWorldNewsOrg
      Hit hard by falling oil prices, Angola looks to diversify economy
       
       
    • By TheWorldNewsOrg
      Angola: Voters elect new president after 38 years of dos Santos rule
       
       
    • Guest Nicole
      By Guest Nicole
      Haga clic
      Hello guest! Please register or sign in (it's free) to view the hidden content. para descargar el archivo en PDF Haga clic
      Hello guest! Please register or sign in (it's free) to view the hidden content. para descargar el archivo en Audio MP3
       
  • Recently Browsing   0 members

    No registered users viewing this page.

  • Forum Statistics

    63,053
    Total Topics
    124,133
    Total Posts
  • Member Statistics

    16,706
    Total Members
    1,592
    Most Online
    DomDom
    Newest Member
    DomDom
    Joined



×
×
  • Create New...

Important Information

Terms of Service Confirmation Terms of Use Privacy Policy Guidelines We have placed cookies on your device to help make this website better. You can adjust your cookie settings, otherwise we'll assume you're okay to continue.